50% dos refugiados em Portugal estão a trabalhar ou a estudar

O alto-comissário para as Migrações reconhece que há falhas no processo de integração dos refugiados, mas garante que metade daqueles que foram acolhidos em Portugal já estão a estudar ou a trabalhar.

Em declarações à TSF, o alto-comissário para as Migrações, Pedro Calado assegura que está a ser feito um esforço para melhorar os processos de integração dos refugiados.

"Não está perfeito nem está tudo bem feito", admitiu o alto-comissário, adiantando que as questões da falta de documentação dos refugiados estão já a ser acauteladas pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

"Ao fim destes dois anos em que Portugal começou a receber as primeiras pessoas recolocadas, temos, neste momento, 50% destas pessoas com trabalho, com formação profissional, a estudar na universidade", afirmou Pedro Calado.

O Bloco de Esquerda aponta falhas ao Governo quanto ao acolhimento de refugiados em Portugal, depois de terem sido conhecidos os resultados de um estudo de um investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, que concluiu que Portugal não integra verdadeiramente os refugiados.

O investigador Francesco Vacchiano aponta que os obstáculos burocráticos e os entraves administrativos impedem os refugiados de aspirar a uma vida digna.

À TSF, o alto-comissário para as Migrações considera que as conclusões do estudo são "precipitadas" e sublinha que o processo de integração dos refugiados é muito demorado - um problema que não se deve ao país de acolhimento.

"A integração de pessoas refugiadas é um desafio comum a todos os países do mundo que acolhem estas pessoas", garantiu Pedro Calado.

"Em média, as pessoas refugiadas acolhidas em qualquer um dos países da OCDE precisam de 20 anos, o que é muito tempo, para conseguirem equiparar-se aos níveis de integração (...) dos outros estrangeiros que vivem nesses países", lembrou o alto-comissário.

O programa de recolocação de refugiados da União Europeia já trouxe a Portugal cerca de 1500 refugiados.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados