Inspeção-Geral do Ambiente vai selar máquinas da Centroliva

No Parlamento, o inspetor-geral do Ambiente Nuno Banza disse que as máquinas vão ser seladas até que a empresa tenha um título "válido" para exercer a atividade.

A Centroliva, empresa responsabilizada pelas descargas de águas residuais, sem licença, na ribeira do Lucriz, afluente do rio Tejo. "Só poderá laborar depois de um processo de licenciamento", garantiu, no Parlamento, a Inspeção-Geral do Ambiente".

"Vamos lá por os selos de novo e vamos ver o que acontece na próxima campanha, que está para começar em breve", disse o inspetor-geral do Ambiente Nuno Banza.

Nuno Banza referiu-se ao facto de, em segunda instância, a justiça ter decidido a favor do recurso interposto pelo Ministério Público para contrariar a providência cautelar antes interposta pela empresa Centroliva.

"Foi-me transmitido que a empresa não recorreu", disse o Inspetor-Geral do Ambiente, aos deputados.

A Centroliva, empresa localizada em Vila Velha de Ródão, tinha sido condenada a encerrar, durante três anos, a unidade de secagem de bagaço de azeitona e a pagar uma coima de 300 mil euros por efetuar descargas de águas residuais sem licença, na ribeira do Lucriz, afluente do rio Tejo, segundo decisão da Agência Portuguesa do Ambiente.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de