Mar

Mais uma lavagem de tanques em alto mar

Portugal está a monitorizar uma mancha de poluição a noroeste de costa continental que terá sido provocada pela passagem de um navio que aproveitou para lavar os tanques.

O porta-voz da Armada disse à TSF que a mancha de poluição detetada entre Portugal e Espanha não oferece perigo. A Marinha já fez análises e trata-se de um hidrocarboneto pouco denso possivelmente resultante da lavagem de tanques de um navio petroleiro.

De acordo com um comunicado da Força Aérea, "o Centro de Reconhecimento e Vigilância e Informações da Força Aérea recebeu, no dia 23 de Janeiro de 2016 um reporte da European Maritime Safety Agency sobre uma potencial mancha de poluição localizada na zona Norte de Portugal". Um alerta que foi também recebido pela Marinha.

O avião de vigilância marítima da Força Aérea ?"verificou a área e confirmou que se trata de uma mancha de poluição, causada por derrame de combustível. A extensão desta mancha é de cerca de 240 km por 15 km (3.600 km2), com uma taxa de cobertura de 25%. Na prática, traduz-se em cerca de 900 km2 (equivalente a cerca de 126 campos de futebol)", revela a Força Aérea que fez um vídeo do derrame.

Esta "mancha de poluição ocupa uma área situada sobretudo em águas espanholas, com uma pequena parte em águas portuguesas. Segundo nos foi possível aferir, não existe risco de a mancha atingir as zonas costeiras de Portugal ou de Espanha. Não foi possível à Força Aérea aferir qual o originador da mancha" sublinha o comunicado.