estudo

Uma em cada oito aves está em vias de extinção

Extração de madeira, espécies invasoras, caça e agricultura intensiva está a afetar a biodiversidades nas espécies de pássaros.

Um estudo intitulado "O Estado das Aves no Mundo" concluiu que cerca de 40% das espécies de aves no mundo estão em declínio, podendo mesmo entrar em vias de extinção. Os especialistas desta investigação, que analisou durante cinco anos os dados populacionais dos pássaros, responsabilizam a atividade humana.

"Cada vez que realizamos esta avaliação, vemos cada vez mais espécies em risco de extinção. A situação está se a deteriorar e as tendências estão a intensificar-se", disse ao jornal britânico The Guardian, Tris Allinson, diretor científico global da BirdLife International, que elaborou o relatório.

"As espécies em risco de extinção já estiveram no topo das montanhas ou em ilhas remotas, como o pombo rosa nas Ilhas Maurícias. Agora, vemos espécies outrora disseminadas e familiares como os pombos europeus, papagaios-do-mar e gaivotas sob ameaça de extinção global", revelou

Os principais motivos que levam ao declínio dos pássaros no mundo é a extração de madeira e agricultura. Estas atividades, diz o estudo, estão a tirar o espaço de alimentação e reprodução de aves.

Tendo em conta que cerca de 10 mil milhões de árvores são destruídas todos os anos, o diretor da investigação demonstrou que "poderíamos facilmente alimentar a população do mundo e deixar espaço para os pássaros e outros animais selvagens se fôssemos mais sensatos e reduzíssemos o desperdício de alimentos, o uso de pesticidas e a produção de colheitas nas áreas certas".