Nova ETAR acaba com esgoto na Ria Formosa

Era a última Estação de Tratamento de Águas Residuais que estava por construir no Algarve. A obra custou quase 23 milhões de euros e vai servir uma população de 113 mil pessoas dos concelhos de Faro e Olhão.

Para o Ministério do Ambiente fecha-se um ciclo no Algarve com a construção da última ETAR que estava por fazer. O ministro João Pedro Matos Fernandes garante que a Ria Formosa já não terá esgoto a escorrer para o seu caudal.

"A qualidade da água da Ria Formosa vai sentir uma grande melhoria e todos os ecossitemas lagunares ão melhorar bastante", frisa.

Matos Fernandes lembra que, a partir de agora, trata-se de gerir as águas para a rega, tentando que, no futuro, a ETAR seja o mais auto-suficiente possível em termos energéticos com a construção de um Parque fotovoltaico que irá avançar junto a esta infraestrutura.

A Estação de Tratamento utiliza uma tecnologia inovadora assente num tratamento biológico que vai reduzir as emissões de carbono e permitir uma poupança de 40% da energia. João Pedro Matos Fernandes lembra que, para este sector, Portugal recebeu da Comunidade Europeia 10 mil milhões de euros ao longo dos anos e tem que se preparar para deixar de ter fundos comunitários nesta área. Mas questionado sobre se isso vai pesar na factura dos consumidores o ministro explica que parte do montante poderá ser suportado pelas autarquias." É absolutamente normal e até desejável que as autarquias queiram assumir uma parcela desse custo", diz.

Uma equação financeira que terá de ser feita para ir suportando a manutenção das ETARs no País.

A ETAR Faro Olhão é inaugurada no dia em que empresa Águas de Portugal comemora 25 anos de existência.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de