"Através da democracia, a democracia pode acabar", teme António Fagundes

O ator brasileiro esteve na TSF, onde comentou o resultado da primeira volta das presidenciais brasileiras, mostrando-se preocupado com o futuro do país.

O resultado da primeira volta das presidenciais brasileiras deixou preocupado António Fagundes.

Jair Bolsonaro, da extrema-direita e Fernando Haddad, candidato do Partido dos Trabalhadores, foram os mais votados e vão enfrentar-se numa segunda volta, marcada para 28 de outubro.

Entrevistado no Almoço TSF, o ator revelou que votou por estar em trânsito em Lisboa e fala numa catástrofe para o Brasil.

"Nós temos aí uma catástrofe, um país dividido por dois candidatos que têm o maior índice de rejeição da história das eleições do país. É incompreensível a gente não ter percebido que podíamos ter isso antes", admitiu António Fagundes.

O ator considera imperdoável a abstenção registada nas eleições deste domingo, lamentando que não se tirem lições da História.

"Foi a mesma coisa com o Hitler na Alemanha. A esquerda dividiu-se e ele tomou o poder. O terrível é você imaginar que através da democracia, a democracia pode acabar. Pode acontecer, nunca sabemos o que se passa na cabeça dessas pessoas", disse.

António Fagundes está em Portugal há várias semanas, a apresentar o espetáculo Baixa Terapia em cena no Teatro Tivoli, em Lisboa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados