Câmara de Pedrógão pede investigação dos "serviços secretos militares" aos fogos

Autarquia defende que relatórios não explicam o que aconteceu no concelho, mas não quer ser concreta nas suspeitas que tem, apenas recordando notícias espanholas sobre terrorismo internacional.

A Câmara Municipal de Pedrógão Grande pede ao Estado que coloque os serviços secretos militares a investigar o fogo que em junho atingiu o concelho, mas também alguns dos outros grandes incêndios deste ano que afetaram o país. O pedido é avançado pelo presidente numa entrevista à TSF.

Valdemar Alves diz que os relatórios conhecidos até agora, nomeadamente sobre Pedrógão, "não são suficientes para esclarecer as coisas", pelo que "o Estado português tem de pedir a intervenção dos serviços secretos, mas dos militares e não dos civis pois isto vai além da força da natureza".

Preferindo não dar mais detalhes sobre as suspeitas que tem, o autarca sublinha, quando questionado sobre os porquês do pedido de intervenção dos serviços secretos da Defesa, que esta investigação deve ser sobre Pedrógão Grande, mas também sobre alguns outros incêndios deste ano, não apenas em Portugal mas também na Europa "pois não é por acaso que o Sul da Europa andava todo a arder ao mesmo tempo e os jornalistas espanhóis falaram muito na hipótese de terrorismo internacional".

O presidente de Pedrógão Grande conta que tem pensado "muito, muito, muito nos porquês de um incêndio desta dimensão", falando também com "muitas pessoas Entendidas na matéria", mas é preciso a intervenção de quem tenha tenha "hipótese de acionar outros mecanismos", sublinhando, sem explicar porquê, que têm ser os serviço secretos militares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de