Cheias, comboios cortados, avisos laranjas ou vermelhos e chuva que vai continuar a cair

O mau tempo e sobretudo a chuva continuam a fazer estragos, quase sempre no Norte e Centro do país. Um aluimento de terras está a condicionar a circulação na A41 em Valongo. A TSF resume as principais consequências e as previsões para o que falta do fim de semana.

A25 cortada (informação atualizada às 20h10)

De acordo com fonte do destacamento territorial de Aveiro da GNR, a A25 teve de ser interdita à circulação pelas 18:20, junto ao nó de Angeja, e a EN 109, entre Angeja e Cacia, também está encerrada devido às cheias. Trata-se do acesso norte à cidade de Aveiro.

Aluimento de terras na A41 (atualizado às 19h)

Parte do asfalto da autoestrada cedeu e não circulam automóveis nas seis faixas da A41 no troço entre Alfena e Valongo. A circulação apenas se faz num sentido, mas apenas numa faixa paralela e de acesso à auto estrada.

Comboios (dados das 18h)

Por causa do mau tempo e da muita chuva que tem caído a Norte do país, há duas linhas de comboios que estão esta tarde cortadas. À TSF, a CP confirma problemas na Linha da Beira Alta onde a circulação está interrompida entre Mortágua e Pampilhosa devido a um túnel que ficou inundado.

Na Linha do Norte o corte acontece na zona de Estarreja e a razão é a mesma: acumulação de água nos carris. Em ambos os casos a CP está a levar os passageiros de autocarros nas zonas cortadas. A CP decidiu entretanto deixar de vender bilhetes para as viagens entre estes dois troços.

Ainda por causa da chuva, também a Linha do Douro chegou a estar cortada no concelho de Baião, mas a circulação já foi restabelecida.

Dezenas de estradas cortadas

Por causa do mau tempo, a GNR regista por esta hora 78 estradas cortadas devido a inundações mas também alguns deslizamentos ou derrocadas de terras. Os distritos mais afetados são Coimbra e Aveiro.

Rio volta a subir em Águeda e baixa da cidade deve ser evitada

A proteção civil de Águeda aconselhou esta manhã as pessoas a não saírem de casa e a evitarem a zona baixa da cidade, prevendo um agravamento das cheias nas próximas horas.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Águeda, Jorge Almeida, que está a coordenar no terreno as operações da proteção civil, afirmou à agência Lusa que a situação melhorou durante a noite, mas está de novo a agravar-se, sabendo-se que "há uma grande massa de água que está a caminho desde o Caramulo".

"Aconselho as pessoas a que só saiam de casa de for absolutamente necessário, até a situação acalmar, e sobretudo que não vão para a baixa da cidade porque as condições de circulação vão estar bastante difíceis", disse hoje de manhã Jorge Almeida.

De acordo com o autarca, a situação melhorou durante a noite, fruto da acalmia das condições de tempo ontem [sexta-feira] ao final da tarde, mas o Rio já está outra vez a subir, devido à chuva que cai ininterruptamente desde as 03:00 na zona do Caramulo.

"O mais problemático é a partir de agora porque o rio reiniciou o processo de subida e sabemos que há uma massa de água bastante grande que está a caminho desde o Caramulo, através do rio Águeda e dos seus afluentes, pelo que temos a situação dificultada, até porque é difícil saber qual vai ser a cota máxima, apesar dos instrumentos de medição, que têm um intervalo de cerca de uma hora", disse.

Jorge Almeida revelou à Lusa que algumas das estradas que já haviam sido reabertas estão a ser novamente encerradas, "nomeadamente a rotunda de Assequins e junto à antiga estação de tratamento de água", e que a ligação a Aveiro está encerrada junto à Ponte da Rata".

Jorge Almeida admitiu que o dia de hoje pode vir a ser "bastante complicado", pelo que a proteção civil municipal tem todo o sistema de vigilância montado e o parque de máquinas operacional para acorrer aos vários deslizamentos de barreiras.

"Estamos a acompanhar a evolução à volta da cidade. Ontem [sexta-feira], tivemos vários pedidos de auxílio, em que os barcos dos bombeiros tiveram de ajudar as pessoas que pretendiam sair ou entrar em casa nas zonas inundadas, mas a noite foi tranquila. A Rua Vasco da Gama e a Rua Manuel Pinto [na baixa da cidade] ainda não deixaram de ter água e vamos ver onde é que atinge o pico máximo", comentou.

Proteção Civil de Coimbra sem registo de situações graves

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra registou 148 incidentes de pequena gravidade relacionados com o mau tempo entre as zero horas de sexta-feira e as nove horas da manhã deste sábado.

"Foram horas mais movimentadas do que é habitual, mas não há registo de situações graves", disse à agência Lusa fonte do CDOS.

Os serviços de proteção civil tiveram de lidar sobretudo com inundações em habitações particulares, deslizes de terras e cortes temporários de estradas devido à queda de árvores.

"Foram incidentes de pequena monta, sem grandes prejuízos, não havendo registo de feridos", resumiu a mesma fonte.

Bruno Café, meteorologista do IPMA, destaca ainda o aumento da intensidade do vento que a Norte de Lisboa pode chegar aos 100 quilómetros por hora

00:0000:00

O destacamento da GNR de Coimbra teve também uma noite mais movimentada do que é habitual, mas não há registo de incidentes graves.

"Houve mais situações do que noutros dias, sobretudo ligadas à falta de sinalização e ao corte de estradas devido a inundações e quedas de árvores, mas nada de grave", acrescentou a fonte da GNR.

Avisos laranjas e vermelhos da meteorologia

A meteorologia avisa que a chuva vai continuar a cair

00:0000:00

O mau tempo está a levar o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) a lançar inúmeros avisos de mau tempo. O maior perigo está no mar com sete distritos sob aviso vermelho entre domingo e segunda-feira devido à agitação marítima, com ondas médias próximas dos sete metros mas que podem atingir os 14 metros. Os distritos com ondas mais altas serão o Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga.

Bruno Café, meteorologista do IPMA, destaca ainda o aumento da intensidade do vento que a Norte de Lisboa pode chegar aos 100 quilómetros por hora, bem como nas terras altas onde podem atingir os 120 quilómetros por hora.

Por causa do vento, todos os distritos do litoral entre Leiria e Viana do Castelo estão com avisos laranja, enquanto o resto do país está com avisos amarelo.

Chuva vai continuar a cair durante o fim de semana

A meteorologia avisa ainda que a chuva vai continuar a cair este sábado e amanhã, por vezes forte a Norte e Centro, com vários avisos laranja. Para amanhã estão previstos aguaceiros, por vezes com granizo e trovoada, que devem diminuir de intensidade a partir de segunda-feira.

.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de