Novo modelo de saúde chega a 15 mil utentes do distrito de Braga

O projeto-piloto vai abranger, numa primeira fase, 15 mil utentes e trata-se de um modelo com base no acompanhamento digital do utente.

O comissário europeu Carlos Moedas inaugura, esta segunda-feira, o Centro de Medicina Digital P5, na Universidade do Minho, em Braga, que vai testar um novo modelo de cuidados de saúde, com base no acompanhamento digital do utente.

O projeto-piloto vai abranger, numa primeira fase, 15 mil utentes e três Unidades de Saúde Familiar (USF) do distrito de Braga, esperando-se que a experiência, que resulta de uma parceria entre a Escola de Medicina da Universidade do Minho e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte possa, no final, vir a ser generalizada a todo o território nacional.

"P5 é uma forma de fazer medicina que acreditamos que vai reconfigurar os cuidados de saúde. A medicina P4 é uma medicina que é personalizada, preventiva, participativa, preditiva. O quinto "pê" é o da proximidade. Aquilo que vamos fazer neste Centro de Medicina Digital é aproximar os cuidados dos doentes", explicou à TSF Pedro Morgado, vice-presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

Este conceito inovador vai ser testado, desde logo, junto de doentes crónicos como os diabéticos e hipertensos, que passam a ter um acompanhamento regular e de proximidade no período entre consultas com recurso a tecnologia digital.

"Vamos ter um conjunto de aplicações, que vão estar disponíveis nos telemóveis dos nossos doentes, que vão monitorizar, por exemplo, os valores das tensões arteriais nos casos dos hipertensos ou os valores das glicemias no caso dos diabéticos. Essa informação é recebida pelos profissionais do P5 que, em conjunto com os médicos e enfermeiros dos centros de saúde e USF, vão desenhar programas personalizados no campo da nutrição, da atividade física ou na gestão da medicação", explicou Pedro Morgado.

Mais do que beneficiar a terapêutica, esclarece, o Centro de Medicina P5 pretende melhorar a saúde dos doentes com a diabetes ou hipertensão arterial, duas doenças crónicas que afetam, em Portugal, cerca de três milhões de pessoas e que são uma das principais ocupações dos médicos de família. "O objetivo é tornar os doentes mais saudáveis", atira Marina Gonçalves, médica de família e um dos elementos do projeto, através de um acompanhamento personalizado que ajude na gestão da doença crónica.

"Estas doenças estão associadas maioritariamente a maus hábitos de vida e muitas vezes queremos abordar estas temáticas na consulta mas não temos formação ou não temos tempo, porque as nossas listas de utentes são enormes, na ordem dos 1900 utentes por cada médico. O que causa e agrava a doença acaba por ser esquecido. Investimos muito na terapêutica, gastamos muito dinheiro nela e acabamos por falhar na mudança dos hábitos de vida", sublinha Marina Gonçalves.

Além dos doentes crónicos, este projeto de medicina digital oferece ainda outra plataforma destinada a combater as "falsas urgências" nas consultas abertas dos Centros de Saúde. "Um doente que tem uma dor de garganta, sem febre e que está na dúvida se deve ou não ir ao médico de família tem deste lado um profissional de saúde que vai orientar. O objetivo é melhorar o acesso dos utentes à consulta aberta, que representa 20% da nossa atividade diária", acrescentou.

O presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho, Nuno Sousa, destaca o "a matriz genética inovadora" deste projeto que vem "acrescentar valor ao sistema de saúde", apontando soluções em áreas que vão marcar a diferença. "Desde logo a prevenção. A medicina do futuro vai estar muito mais centrada em prevenir doenças do que em tratá-las ou curá-las. O segundo nicho é o da interligação entre os níveis de cuidados. Há muito bons cuidados primários de saúde e muito bons cuidados hospitalares diferenciados, mas a comunicação entre estes dois níveis de cuidados é claramente problemática em Portugal e em todo o mundo. E o terceiro é o nicho da gestão das doenças crónicas", referiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de