Diego, a tartaruga gigante que tem cem anos e ajudou a salvar a espécie

O encanto de Diego foi tanto que a população desta espécie de tartarugas cresceu de apenas 15 para duas mil.

Diego é conhecido como a tartaruga gigante ("Chelonoidis hoodensis") "playboy" que, com uma vida sexual bastante ativa, salvou toda a sua espécie. Agora, com cem anos de idade, vai aposentar-se e voltar para a natureza.

Em 1976, esta tartaruga foi levada do zoológico de San Diego, nos Estados Unidos, onde viveu durante 30 anos, para as Ilhas Galápagos, no Equador, no âmbito de um programa de recuperação da espécie. Quando Diego iniciou a sua "campanha de promiscuidade", existiam apenas dois machos e doze fêmeas da sua espécie naquela ilha. No entanto, o seu charme foi tanto que a população da espécie aumentou para dois mil, evitando, assim, a extinção. Os responsáveis do Parque Natural das Galápagos acreditam que Diego é o patriarca de 40% dessa população.

"O Diego contribuiu para uma grande percentagem da linhagem que estamos a devolver à ilha de Espanõla", disse o diretor do Parque Natural das Galápagos, Jorge Carrión, à AFP. "Há um sentimento de felicidade em devolver esta tartaruga ao seu habitat natural", acrescentou. Com o futuro da espécie assegurado, Diego poderá agora voltar à natureza.

Foram 15 as tartarugas que participaram neste programa para aumentar a população naquela ilha, mas nenhuma alcançou os resultados de Diego. "Cerca de 1800 tartarugas foram devolvidas à Española e, agora, com reprodução natural temos aproximadamente duas mil tartarugas", disse Carrión à agência noticiosa francesa. "Isto quer dizer que elas são capazes de crescer, reproduzir-se e desenvolver-se", sublinhou o mesmo responsável.

Outro caso de sucesso, mas menos carismático

"Outro macho mais reservado e menos carismático - 'E5' - gerou cerca de 60% da população", disse James Gibbs, professor de biologia ambiental e florestal da universidade do estado norte-americano de Nova Iorque. O docente acredita que Diego tem "uma grande personalidade - bastante agressivo, ativo e vocal nos seus hábitos de acasalamento - e, por isso, conseguiu a maior parte da atenção". "Mas, ainda assim, foi o macho mais calmo que teve mais sucesso", acrescentou.

O professor sublinha que a seleção feita por parte das fêmeas também tem implicações no processo. "Pode ser uma surpresa, mas as tartarugas fêmeas formam aquilo a que chamamos relações", disse James Gibbs. "As hierarquias e relações sociais das tartarugas gigantes são ainda pouco conhecidas", afirmou. No entanto, para Jorge Carrión existe uma explicação mais simples: "Sem dúvida que Diego tinha algumas características que o tornavam especial."

Gibbs disse, ainda, que as tartarugas gigantes eram uma espécie em perigo de extinção devido ao fácil acesso à ilha por parte de piratas e pescadores, por volta dos anos 1800, que as retiravam da natureza para alimentação. Por outro lado, "as cabras selvagens invadiram a ilha por muitos anos e não só competiam com as tartarugas por comida, mas também destruíam muito do seu habitat", acrescentou.

Jorge Carrión referiu igualmente que Diego foi retirado do seu habitat natural na ilha de Española por volta dos anos 1930. "Os conservacionistas também trabalharam na restauração ecológica da ilha de Española, incluindo a promoção do crescimento de catos, que são uma fonte de alimento para as tartarugas", afirmou Carrión, considerando: "Isso, por sua vez, ajudou a recuperar as espécies à beira da extinção." As carapaças de formato exclusivo das tartarugas permitem que elas se estendam para alcançar os alimentos. Diego pesa 80 quilos e é capaz de se estender por um metro e meio.

Este programa de procriação faz parte da Iniciativa de Recuperação das Tartarugas Gigantes, uma colaboração entre a Galápagos Conservancy e o Parque Nacional das Galápagos, que começou em 1965 com o objetivo de fazer crescer a população das tartarugas na ilha de Pinzón, também nas Galápagos. Em 1970, os investigadores começaram a tentar salvar as tartarugas da ilha de Española.

"A conclusão foi a de que esta ilha tinha condições suficientes para manter a população de tartarugas, que vai continuar a crescer normalmente - mesmo sem qualquer chegada de jovens", disse, em comunicado, o diretor da Iniciativa de Recuperação das Tartarugas Gigantes, Washington Tapia.

Depois de 80 anos desde que foi retirado, Diego deve voltar à natureza da ilha de Espanõla já em março. As Galápagos são um dos principais destinos do mundo para observação da vida selvagem, tendo sido visitadas por Charles Darwin enquanto trabalhava na teoria da evolução.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de