"Elpis". Os carregadores de telemóvel a energia solar que ajudam os refugiados

O sol das paradisíacas ilhas gregas vai ter uma nova utilidade. A ideia partiu de um grupo de estudantes universitários.

Ter bateria no telemóvel para ligar à família é uma necessidade difícil de satisfazer para milhares de refugiados que chegam à Europa depois de longas e acidentadas viagens. Mas um projeto desenvolvido por um grupo de estudantes da Universidade de Edimburgo quer mudar esta realidade.

Os campos de refugiados gregos estão a ser equipados com estações de carregamento de telemóveis através de energia solar, onde o acesso à eletricidade era, até agora, muito escasso, segundo a agência Reuters. O projeto chama-se "Elpis" (que significa "esperança", em grego) e foi implementado por estudantes da Universidade de Edimburgo com a ajuda da companhia de tecnologia solar grega Entec.

Até ao momento, foram instaladas duas unidades e cada uma abrange 240 pessoas, gerando eletricidade para 12 tomadas, dez horas por dia.

A ideia surgiu a Alexandros Angelopoulos, um dos criadores do projeto, no verão passado, quando visitou a ilha grega de Samos. Samos é um dos maiores focos de entrada de migrantes na Europa a partir do Médio Oriente. O estudante de 20 anos diz que, na altura, os refugiados que acabavam de chegar lhe pediam "o telemóvel para ligar à família" e usar o Google Maps para planear a rota de viagem. Os migrantes estavam retidos nos portos, tendo de partilhar uma única ficha eléctrica.

Angelopolous diz que a implementação do projeto "no início foi difícil" por causa de imensas questões "burocráticas". Mas uma vez resolvidas, o campo de Kara Tepe, em Lesbos, foi o primeiro a ser escolhido para a experiência. Os residentes do campo e as autoridades locais receberam a ideia com entusiasmo.

"Prometeram-me mais três e estou à espera deles com muito prazer", diz o responsável do campo de refugiados, Stavros Miroyannis. As próximas três unidades a ser produzidas estão a ser financiadas através de uma plataforma de crowdfunding. Os jovens estudantes esperam abranger o maior número possível de campos de refugiados na Grécia.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados