Tecnologia de braço dado com o mercado. Laboratório quer gerar 11 milhões de euros e 45 empregos

No campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do Hospital, vai aparecer agora o Laboratório Colaborativo para a Economia Circular, depois da aposta que foi feita no centro de investigação e da incubadora de empresas.

Vai nascer um laboratório colaborativo para a economia circular em Oliveira do Hospital, que pretende gerar um investimento de 11 milhões de euros, criar mais 45 postos de trabalho, e pretende colmatar uma lacuna existente em Portugal: a venda de tecnologia.

O "Colab" surge no campus de Tecnologia e Inovação da BLC 3, uma associação sem fins lucrativos, que surgiu através de João Nunes em 2009, e que há dois anos ganhou o "regiostars", um prémio atribuído pela Comissão Europeia, precisamente com um projeto de economia circular: o "petróleo verde", que consiste na construção de refinarias de biocombustível. Aproveitam-se matos e matérias florestais para produzir combustível.

Dois anos depois, João Nunes faz o ponto de situação de um projeto que se estendeu também à área alimentar e aos resíduos urbanos.

No campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do Hospital, vai aparecer agora o Laboratório Colaborativo para a Economia Circular, depois da aposta que foi feita no centro de investigação e da incubadora de empresas.

A ideia é que o Colab produza tecnologia procurada pelo mercado e que faça como se faz em países europeus como a Alemanha, onde os laboratórios colaborativos, entre empresas e académicos, apoiam na descoberta de novas tecnologias necessárias ao mercado e cuja finalidade é a venda dessa mesma tecnologia.

A BLC 3 nasceu por intermédio do próprio João Nunes em 2011. Hoje são 35, em breve poderão ser 100, mas o próprio João Nunes aspira a que o amanhã seja ainda mais numeroso: 200 pessoas. O que significa massa crítica no interior, com condições para se fixarem. O Colab é apenas mais um anzol para pescar jovens qualificados.

O Colab surge com parcerias um pouco por todo o país. Empresas e instituições do ensino superior, como os institutos politécnicos de Bragança e Coimbra. O Colab é o continuar do caminho iniciado há dois anos com o prémio Regiostars, atribuído pela Comissão Europeia, para as biorefinarias da BLC3, de Oliveira do Hospital. O projeto abrange 3 eixos principais: a biotecnologia industrial, os processos sustentáveis e verdes, e por último o ecodesign.

A APA é parceira deste laboratório, no sentido de perceber se há ou não perigos na utilização dos resíduos florestais.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de