PJ está a acompanhar ataque informático a empresas

Polícia Judiciária está a trabalhar em articulação com o Centro Nacional de Cibersegurança e com as entidades com responsabilidade na área da segurança.

A Polícia Judiciária está a acompanhar e a tentar perceber o alcance de um ataque informático internacional que tem como alvo empresas, disse o diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime da PJ.

Ouvido pela agência Lusa, Carlos Cabreiro adianta que a PJ teve conhecimento da situação no final da manhã e que está a "acompanhar eventuais situações concretas de crime" e a trabalhar em articulação com o Centro Nacional de Cibersegurança e com as entidades com responsabilidade na área da segurança.

Segundo o coordenador do Centro Nacional de Cibersegurança, Pedro Veiga, citado pelo Jornal de Negócios, admite que o ataque possa ter origem mo Brasil e tem como alvo prioritário as operadoras de telecomunicações e outras grandes empresas.

Carlos Cabreira adiantou tratar-se de um 'ransomware', um tipo de 'malware' que restringe o acesso ao sistema infetado e que cobra um valor de "resgate" para que esse acesso possa ser restabelecido.

"São ataques infelizmente normais que são levados a cabo para tentar obter um pagamento de resgate", explicou o diretor da Unidade Nacional de Combate ao Cibercrime e à Criminalidade Tecnológica.

Carlos Cabreiro adiantou que, normalmente, "as empresas têm mecanismos e sistemas de segurança que fazem com que sustenham ou mitiguem os ataques".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de