Samsung

Samsung Note 7 são telemóveis "non-grata" em voos da TAP

A TAP avisa que a partir desta terça-feira os polémicos smartphones da Samsung estão proibidos de entrar a bordo dos aviões da companhia aérea. Outras companhias aéreas tomaram a mesma atitude.

Num alerta na sua página eletrónica, com o nome de "recomendações para o transporte de telemóveis Samsung Galaxy Note 7", a transportadora aérea portuguesa avisa os passageiros de que aqueles 'smartphones' não estão autorizados, a partir de hoje, a serem transportados durante os seus voos.

PUB

Outra iniciativa tomada por algumas companhias aéreas, tem sido a aquisição e distribuição pelas suas aeronaves de kits de socorro para o caso de equipamentos eletrónicos que entram em combustão.

Quanto ao alerta da TAP, a companhia aérea escreve que "por motivos de segurança, avisamos todos os clientes TAP que a partir desta data não poderão transportar os dispositivos móveis Samsung Galaxy Note 7, seja junto a si, em bagagem de mão ou bagagem de porão, em nenhum dos voos TAP".

"Por favor não traga o seu dispositivo móvel para o aeroporto. Em caso de retenção do seu dispositivo no aeroporto, a TAP não tem possibilidade de o devolver, nem poderá ser responsável por ele durante a sua viagem", refere a operadora aérea, aconselhando os passageiros "a contactar diretamente com a Samsung para obter mais informações acerca do processo de recolha" do dispositivo.

Também hoje, a transportadora aérea alemã Lufthansa anunciou a interdição dos 'smartphones' a bordo dos seus aviões devido ao risco de incêndio. Esta tem sido uma medida aplicada por várias companhias aéreas europeias, justificada por questões de segurança.

Na passada sexta-feira, as autoridades norte-americanas decidiram proibir os 'smartphones' Note 7 nos voos que partem ou que se destinam aos Estados Unidos, tal como os voos domésticos, uma decisão que foi seguida na segunda-feira pelo Japão.

Dois meses após o lançamento do Note 7, a fabricante sul-coreana Samsung suspendeu, na semana passada, a produção destes equipamentos, depois de uma série de defeitos que provocaram explosões e incêndios.