Espaço

Sinais de rádio de galáxia a 1.500 milhões de anos-luz voltam a intrigar astrónomos

Pela segunda vez na história foi captado um sinal repetitivo de rajadas rápidas de rádio com origem fora da Via Láctea.

Um grupo de cientistas do Canadá detetou sinais de rádio provenientes de uma galáxia a 1.500 milhões de anos-luz de distância da Terra.

As chamadas rajadas rápida de rádio, impulsos de energia com duração de apenas alguns milissegundos, são um dos fenómenos mais bizarros do Universo, escreve a National Geographic . Foram descobertas pela primeira vez em 2007 e a sua origem continua a ser um mistério.

Os investigadores do CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment), um radiotelescópio do Observatório Astrofísico de Rádio Dominion, na Colúmbia Britânica, Canadá, captaram 13 destes sinais, incluindo um que se repete regularmente.

Ao longo dos anos foram descobertos 60 rajadas rápidas de rádio, mas esta é apenas a segunda vez na história que é detetado um sinal repetitivo. "O repetidor", como foi apelidado, e os outros 12 sinais têm a frequência de rádio mais baixa alguma vez detetada, mas são também os mais brilhantes.

Podem ter origem em regiões particularmente turbulentas de galáxia, em áreas de atividade violenta, como os remanescentes de uma supernova ou perto de buracos negros. O ​​​​​​​professor Avi Loeb, do instituto Harvard-Smithsonian, diz ao The Guardian que não se podem excluir hipóteses, até que sejam provenientes de tecnologia alienígena.

  COMENTÁRIOS