Já há fotos do corpo celeste mais distante já visitado e Brian May compôs uma canção para a ocasião

O guitarrista dos Queen acompanhou a visita da sonda New Horizons à Ultima Thule.

No primeiro dia do novo ano a New Horizons sobrevoou pela primeira vez Ultima Thule , o corpo celeste mais longínquo já visitado no Sistema Solar, a seis mil milhões de quilómetros da Terra, na Cintura de Kuiper.

A sonda espacial terá tirado cerca de 900 imagens durante os poucos segundos que sobrevoava o Ultima Thule, a uma distância de cerca de 3.500 quilómetros. Eis a primeira divulgada pela NASA:

O nome oficial deste corpo celeste é 2014 MU69, mas a comunidade científica começou a designa-lo com a expressão latina que tradicionalmente se refere a um local distante, para lá do mundo conhecido.

A missão da New Horizons foi acompanhada por Bryan May, guitarrista dos Queen e astrofísico, que até compôs uma música para a ocasião, à qual chamou "New Horizons (Ultima Thule Mix)".

"Esta missão representa para mim o espírito de aventura, descoberta e investigação que é inerente ao espírito humano", disse Bryan May quando a sonda da NASA estava prestes a sobrevoar a Ultima Thule.

Os primeiros dados da New Horizons demoraram seis horas e oito minutos a chegar à Terra e mais serão divulgados nos próximos 20 meses.

Em 2017 os investigadores já tinham descoberto que a Ultima Thule não era esférica, mas só agora foi possível desvendar a sua forma - é uma espécie de amendoim - e o seu eixo de rotação.

LER MAIS:

Um ano de conquistas. Em 2018 fomos a Marte e até enviamos um carro para o Espaço

O Universo nunca esteve tão perto. As melhores imagens do Espaço de 2018

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de