"Estranha, grande e gasosa." Hubble pode ter descoberto lua fora do Sistema Solar

Já podemos assinalar no mapa celeste milhares de exoplanetas, mas pela primeira vez os investigadores acreditam ter encontrado uma exolua.

O telescópio espacial Hubble pode ter encontrado uma lua em órbita de um planeta fora do Sistema Solar.

O corpo celeste a 8 mil anos-luz já fora identificado em 2017, mas não foi possível provar de que se tratasse de uma lua. Os sinais agora captados pelo telescópio da NASA e Agência Espacial Europeia suportam essa teoria.

A chamada Kepler-1625b-i, encontrada no sistema estelar Kepler-1625, poderá ser a maior lua alguma vez conhecida, com um tamanho aproximado ao planeta Neptuno (49 mil quilómetros de diâmetro).

A surpresa de David Kipping e Alex Teachey, a dupla de astrónomos da Universidade de Columbia que analisou as observações feitas com o telescópio espacial Hubble, prende-se não com o facto de existir uma exolua, algo que se acreditava ser uma questão de tempo, mas sim com o quão diferente é este satélite natural.

Ao contrário das luas 180 do nosso Sistema Solar, não há rochas nem gelo na Kepler-1625b-i. Trata-se de um corpo celeste gasoso, sendo também gasoso o planeta gigante que orbita, o Kepler-1625b, mantendo-se a uma distância de aproximadamente três milhões de quilómetros.

"É grande e estranha", descreve David Kipping.

Em maio de 2019 o Hubble fará novas observações que podem confirmar a descoberta.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados