Sete militares detidos nos Comandos

Detenções estão relacionadas com a morte de dois jovens instruendos, em setembro. Entre os detidos está o diretor do 127º Curso de Comandos, avança a PGR.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou esta quinta-feira a detenção de sete militares no âmbito do inquérito, dirigido pelo Ministério Público, às "circunstâncias do treino que levaram à morte de alunos do curso de Comandos".

Num comunicado enviado à TSF, a PGR esclarece que foram detidos o diretor do 127º Curso de Comandos, o médico que assistiu os dois militares que morreram e cinco instrutores. A PGR adianta que os militares são suspeitos da prática de crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física.

A Procuradoria sublinha que as investigações vão prosseguir porque em causa estão não só "os já referidos crimes de abuso de autoridade por ofensa à integridade física", mas também "crimes de omissão de auxílio".

Até ao momento tinham sido constituídos arguidos dois enfermeiros, que estavam na tenda onde os militares receberam tratamento, e decorrem ainda três processos disciplinares que foram instaurados a dois oficiais e a um sargento.

A PGR indica que os detidos vão ser presentes ao juiz de instrução criminal para a eventual aplicação de medidas de coação.

Em declarações à TSF, o Exército confirmou que está a colaborar com a investigação e que recebeu um pedido de detenção dos militares. Os sete militares hoje detidos vão ser levados para o estabelecimento prisional de Tomar.

O Tenente Coronel Vicente Pereira confirma a detenção de sete militares

00:0000:00

O Tenente Coronel Vicente Pereira adianta que os detidos vão ser levados para Tomar

00:0000:00

Hugo Abreu e Dylan Silva, de 20 anos, morreram no início do curso, sentiram-se mal nos treinos, numa altura em que as temperaturas em Alcochete ultrapassaram os 40 graus.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de