É difícil manter as criança e os jovens longe de conteúdos perigosos na Internet

Pedro Marques, do Centro Internet Segura, lembra que os jovens são curiosos e, mais do que proibir, é preciso educar e sensibilizar os jovens e adolescentes para os conteúdos mais adequados para uma determinada faixa etária.

Não há solução eficaz para impedir as crianças e os adolescentes de terem contacto com sites perigosos na Internet.

A opinião é de Pedro Marques, gestor de recursos do Centro Internet Segura, ouvido pela TSF a propósito de um estudo, divulgado este sábado, que revela que que metade dos jovens portugueses teve contacto com sites perigosos e quase metade admitiu que contactou pessoalmente com estranhos que conheceu online.

Pedro Marques lembra que os jovens são curiosos e, inclusive, até admitem procurar na Internet conteúdos mais perigosos. O gestor lembra também que muitos conseguem "dar a volta" a ferramentas de controlo parental, com o auxílio de amigos ou procurando tutoriais na Internet.

Como solução, Pedro Marques defende uma mediação parental mais presente. "Não existe uma forma eficaz de proibir o acesso a qualquer coisa que seja para um adolescente (...) O que é precioso é educá-los e sensibiliza-los para o acesso a conteúdos e indicar conteúdos que são mais adequados para uma determinada faixa etária". É também importante "ter esta mediação parental que não é apenas os pais a tentarem controlar aquilo a que os filhos acedem mas de facto estarem presentes na utilização que os seus filhos fazem da Internet", adianta.

Pedro Marques confirma que a linha de atendimento do Centro Internet Segura recebe muitos contactos mas muitos casos chegam já muito tarde para serem prevenidos.

O trabalho o Centro Internet Segura passa também por consciencializar jovens e pais para o uso da internet.

Pedro Marques considera que os resultados do estudo, que mostram que há cada vez mais menores a pedirem aos pais para retirarem imagens da internet, revelam que há cada vez mais consciência do direito à imagem na internet.

O gestor alerta para outra situação, o chamado sharenting, que é a partilha por parte dos pais do crescimento dos filhos nas redes sociais, uma atitude que pode trazer problemas.

Perante um problema online Pedro Marques aconselha os utilizadores a ligarem para a linha internet segura. O número 800 21 90 90, é gratuito e as chamadas são coordenadas pela APAV - Associação Portuguesa de Apoio à Vítima.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de