"É preciso investir mais na educação para a paz"

Pedro Daniel Marques, pároco de Fafe, considera que é uma "bênção" haver jovens que reagem à violência de forma "pacífica mas sem indiferença".

O papel do movimento estudantil no debate sobre a posse de armas nos Estados Unidos foi tema de conversa, esta tarde, em Fafe no âmbito do Terra Justa - Encontro de Causas e Valores da Humanidade, que decorre até sábado.

Nas semanas que se seguiram ao ataque a uma escola na Florida, em fevereiro, que fez 17 mortos, o debate sobre a posse de armas reacendeu-se com intensidade, sobretudo pela pressão dos estudantes que sobreviveram ao massacre, pedindo mais controlo sobre a venda de armas, considerado o principal fator de violência armada.

Convidado a falar sobre o tema, Pedro Daniel Marques, 31 anos, pároco em Fafe, considera que é uma "bênção" haver jovens que reagem à violência "de forma pacífica mas sem indiferença". E defende, na conversa com a jornalista Liliana Costa, que se a violência nas escolas, no namoro ou noutros contextos, está a crescer é preciso investir mais numa cultura de educação para a paz desde os primeiros anos de vida.

Com 31 anos, o pároco de Fafe admite que os jovens não estarão, hoje, muito interessados "em participar em ritos" ou cumprir "uma presença muito sacramental na Igreja" mas sentem "necessidade de reflexão, de oração e de encontro na busca de sentido", sobretudo num tempo em que "é mais difícil para um jovem ou adolescente construir a sua identidade pessoal no meio de tanto ruído e confusão, com tantas propostas provenientes das redes sociais e da televisão".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de