E se um dia tudo fosse o seu contrário? Hoje é o dia

A TSF assinala esta quarta-feira o Dia ao Contrário.

E se, por um dia, decidisse fazer exatamente o inverso do que costuma fazer todos os dias? De cima para baixo, de dentro para fora, de trás para a frente - mudar tudo para o seu oposto é o mote do Dia ao Contrário.

Consta que tudo começou em janeiro de 1961, quando Megan Emily Scott e Sarah Nicole imaginaram como seria levar um dia ao contrário. A ideia surgiu quando as duas ordenhavam vacas na quinta da família, nos Estados Unidos, e a comunidade aderiu. No ano seguinte marcaram o 31 de janeiro ao andar de costas na rua.

Houve sempre, contudo, ao longo da História e em várias culturas, um dia dedicado a inverter as normas sociais em prol da liberdade. Na Roma Antiga, durante o festival da Saturnaia, celebrado entre 17 e 23 de dezembro, em honra do deus Saturno, os senhores serviam os escravos, os tribunais fechavam e os jogos de sorte e azar eram excecionalmente permitidos. "O melhor dos dias", nas palavras do poeta Catulo.

Nos Estados Unidos, o Dia Nacional ao Contrário (National Backwards Day), comemora-se a 31 de janeiro, os suecos dedicam-lhe o 12 de maio. A data é especialmente acolhida pelas crianças e os suecos costumam fazer campanhas em prol da segurança rodoviária, visto que até aos quatro anos se recomenda uma cadeira posicionada no sentido contrário ao da marcha.

Muitas pessoas assinalam um "dia ao contrário" em datas palíndromas, ou seja, quando o conjunto dos números é o reverso dele próprio, outras escolhem o 2 de maio, data em quem morreu Leonardo da Vinci. O pintor renascentista era ambidextro e diz-se que era capaz de escrever frases em espelho sem dificuldade.

A TSF assinala esta quarta-feira o Dia Ao Contrário com notícias do avesso, perspetivas opostas e histórias de voltas trocadas. Para ouvir na antena da rádio e no site da TSF.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de