Está a aumentar a indisciplina nas escolas

Um estudo feito no ano letivo 2015/2016 dá conta de mais de 11 mil participações disciplinares em 5,4% dos agrupamentos escolares. São sobretudo episódios considerados de pequena indisciplina.

A conclusão é de um estudo que é divulgado esta terça-feira pelo responsável do blog "Com regras", Alexandre Henriques, que analisou os episódios de indisciplina em cerca de 45 agrupamentos e escolas, abrangendo 54 mil alunos.

O estudo conclui que as escolas raramente utilizam medidas sancionatórios para corrigir os comportamentos de indisciplina. São poucos os alunos suspensos, expulsos ou transferidos para outros estabelecimentos de ensino. Por isso, é possível dizer que as situações mais graves de indisciplina são pouco frequentes, lê-se no trabalho publicado no blog do autor.

Entre 2014 e 2016, cresceram os números das participações disciplinares e dos alunos a quem elas se dirigiram. Aumentou também a quantidade de estudantes que sofreu sanções ou medidas corretivas, como a ordem de saída da sala de aula ou a mudança de turma.

A investigação verificou que a indisciplina existe em praticamente todas as 45 escolas e agrupamentos que responderam. Mas o problema é mais grave nos grandes centros urbanos. No ano letivo 2015/2016, foi no segundo período que houve mais casos.

Ainda assim, a forma como as escolas lidam com a falta de disciplina é muito variável.

O autor do estudo propõe algumas medidas para resolver o problema, entre elas a simplificação do estatuto do aluno no que diz respeito às medidas disciplinares. Como está, adianta, transforma a escola numa espécie de tribunal dos pequeninos.

É também preciso ensinar os professores a gerir conflitos, reduzir o tamanho das turmas e o número de horas das aulas e apostar mais na formação cívica dos estudantes.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de