"É imperativo que as universidades continuem a atualizar-se"

Reitor da Universidade de Aveiro, Paulo Jorge Ferreira, sublinha que Portugal corre risco de formar profissionais desatualizados se não houver uma mudança no Ensino Superior. Reitores juntam-se esta sexta-feira para discutir a próxima década.

Urgente e imperativo. Palavras escolhidas pelo reitor da Universidade de Aveiro, Paulo Jorge Ferreira, para sublinhar as mudanças que têm de ser criadas no Ensino Superior para que o país não forme profissionais desatualizados na próxima década.

"Ao ritmo a que está a mudar a sociedade e a que se está a criar conhecimento novo, se não articularmos esse conhecimento novo e não refletirmos logo naquilo que se ensina e como se ensina, estamos a criar um desnível entre o ensino e a realidade. É urgente, imperativo, que as universidades continuem a atualizar-se a um ritmo cada vez mais elevado e que acompanhe o ritmo a que estão a gerar conhecimento", diz à TSF o reitor da Universidade de Aveiro que vai ser o anfitrião da segunda Convenção Nacional do Ensino Superior.

Questionado sobre como é que se faz essa mudança, Paulo Jorge Ferreira nota que se pode atualizar apenas os conteúdos. "É preciso formar uma nova geração de profissionais que, além de competências técnicas, tenha outro estilo de competências que são cada vez mais necessárias para resolver problemas complexos", diz. Paulo Jorge Ferreira refere que, no caso da Universidade de Aveiro, o caminho passa pela interdisciplinaridade, mas o reitor defende que "cada instituição deve encontrar o seu caminho dentro da sua forma de estar".

Futuro em discussão

A agenda para a década volta a ser discutida por universidades, politécnicos e centros de investigação, desta vez na Universidade de Aveiro. A sessão visa refletir sobre o que é necessário para aumentar o nível de inovação da sociedade e da economia em Portugal e para criar "uma verdadeira cultura científica", sublinha a organização a cargo do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas.

Entre os tópicos em discussão vão estar "a missão do Ensino Superior", "a investigação ao serviço da comunidade", "a internacionalização e financiamento da investigação" e "o papel da academia na formação profissional do futuro".

Continuar a ler