Lançado programa sucessor das Novas Oportunidades

O governo anunciou o lançamento de um novo programa para educação e formação de adultos "que não tiveram oportunidade de estudar no tempo mais natural".

Este Programa Integrado de Educação e Formação de Adultos (PIEFA) foi anunciado pelo titular da pasta da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, em conferência de imprensa, no final de um Conselho de Ministros totalmente dedicado às questões do Ensino Superior, da ciência e das escolas.

Tiago Brandão Rodrigues começou por defender que o programa "Novas Oportunidades", lançado a partir de 2007, deixou "marcas muito positivas" ao nível da educação e formação de adultos.

"Infelizmente, na última legislatura, esse programa foi praticamente desmantelado. O objetivo agora é criar a pedra basilar para o lançamento de um novo programa, que assentará numa lógica de modelização, tanto ao nível da estrutura, como dos conteúdos de formação", especificou.

De acordo com o membro do Governo, o novo programa vai dirigir-se a todos os que "não tiveram oportunidade de estudar no tempo mais natural".

"Não estou a falar só de população adulta já em idade avançada, mas também daqueles que ainda não conseguiram completar a escolaridade obrigatória e que ainda são jovens, muitos deles entre os 20 e os 30 anos. Com este novo programa, este grupo tem então uma nova oportunidade para se poder valorizar", referiu.

Tiago Brandão Rodrigues falou ainda de potenciais destinatários da frequência deste programa como cidadãos que tiveram uma recente "inflexão ao nível do seu percurso profissional".

"Estou a pensar ainda em todos aqueles que, por inquietação intelectual, pretendem dar novos passos, valorizando-se ao nível das qualificações", acrescentou.

Tal como a TSF tinha revelado, o conselho de ministros aprovou também a substituição gradual das bolsas de doutoramento por contratos de trabalho e foi confirmada a intenção de facilitar o acesso ao ensino superior por parte de alunos do ensino profissional.

Tiago Brandão Rodrigues revelou ainda que as atividades extra curriculares vão passar a constar do diploma do ensino secundário.

O ministro dá como exemplos a "participação em associações de estudantes, em atividades de formação para a cidadania, no desporto escolar, nos clubes de arte e de língua", que farão parte de "um suplemento ao diploma de estudantes que possa valorizar estas competências transversais que tantas vezes são deixadas de parte na valorização dos currículos".

Tiago Brandão Rodrigues anunciou ainda dois protocolos: um com o ministério da Saúde para que os jovens tenham formação em socorrismo, a partir do 10º ano de escolaridade; outro com o ministério da Economia, para que os alunos do ensino artístico possam realizar eventos públicos nos principais pontos turísticos.

O programa vai chamar-se Arte na Rua e pretende "que as escolas do ensino artístico possam pôr em prática tudo o que aprendem em contexto profissional" e assim "terem possibilidade de atuar e se valorizarem".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de