Diretores desafiam ministro das Finanças a passar uma hora numa escola

Filinto Lima, da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, sublinha que o ministro das Finanças devia passar algum tempo numa escola para perceber como funcionam os estabelecimentos de ensino com falta de funcionários.

O presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas responsabiliza o ministro das Finanças pela situação da escola em Canelas onde os alunos e os professores ajudam a tratar da limpeza e da vigilância do estabelecimento de ensino, por falta de funcionários. Filinto Lima garante, ainda, que esta é apenas uma de muitas escolas às quais o ministério das Finanças não tem dado atenção.

"O ministro Mário Centeno é insensível à organização de uma escola. Era importante que o ministro Mário Centeno viesse para a escola ver o funcionamento de uma escola durante uma hora, para perceber que neste momento estão em falta no sistema educativo nacional centenas de funcionários. Canelas é um mero exemplo. O que se está a passar em Canelas está a passar-se de norte a sul do país por muitas escolas. Nós temos alertado o ministério da Educação para o que está a acontecer. O que é certo é que, neste momento, não há luz ao fundo do túnel."

Em conversa com o jornalista Fernando Alves, Filinto Lima garante que os funcionários das escolas estão a chegar a um estado de exaustão.

"Os funcionários fazem o trabalho deles e o dos colegas que estão em falta. Não me admira nada que estes funcionários mais dia ou menos dia entrem com um atestado médico, por causa do burnout. Isto vai ser uma bola de neve se o Presidente do Eurogrupo, que por acaso também é ministro das Finanças de Portugal, não colocar pés ao caminho."

LEIA MAIS:

- A escola onde alunos e professores tratam da limpeza e o diretor faz de porteiro

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de