"O primeiro mês de escola devia ser de festa"

O investigador Carlos Neto defende uma escola mais livre e menos sedentária.

As aulas já começaram há pelo menos quinze dias, os primeiros dias serviram para fazer apresentações, mas Carlos Neto defende que o primeiro mês devia ser todo para as crianças conhecerem o espaço, os professores, os colegas e para conviverem. "É uma ideia maluca, mas o primeiro mês de escola devia ser de festa", afirma o professor e investigador da Faculdade de Motricidade Humana.

Preocupado com o tempo que as crianças passam sentadas e com o impacto que isso tem na saúde física e mental das crianças, mas preocupado também com um ensino mais amigo das crianças, um ensino que não obrigue a empinar, Carlos Neto fala de uma escola demasiado burocrática. Na prática, o professor defende uma escola que deixa explorar, que não prende, uma escola mais livre, que combate o sedentarismo e deixa sonhar.

Nesta edição alargada do TSF Pais e Filhos, escutamos as ideias de Carlos Neto que assinala também algumas experiências positivas que estão a ser desenvolvidas lá fora, mas também em Portugal e visitamos um desses projetos que o professor e investigador da Faculdade de Motricidade Humana considera interessantes: A Escola da Mata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de