Oito funcionários para 1400 alunos. Escola de Canelas admite suspender Educação Física

Há um mês, a TSF denunciou esta situação. Alguns espaços da escola chegaram a estar fechados, nomeadamente algumas casas de banho e o diretor do agrupamento chegou a ter que substituir o porteiro.

Os diretores das escolas querem esclarecimentos do Governo sobre a promessa de contratar mais de mil funcionários não docentes. Um destes casos é a escola Básica e Secundária de Canelas, em Vila Nova de Gaia, onde atualmente só estão estão a trabalhar 8 funcionários para cerca de 1400 alunos.

Há precisamente um mês, a TSF denunciou esta situação. Alguns espaços da escola chegaram a estar fechados, nomeadamente algumas casas de banho e o diretor do agrupamento chegou a ter que substituir o porteiro. Ouvido esta manhã pela TSF, Artur Vieira diz que a situação é ainda mais grave e hoje a escola não abriu portas.

"Houve funcionários que entraram em greve e somado à debilidade que temos de elementos operacionais, a segurança não estava garantida e decidimos não abrir. A situação tem vindo a agravar-se e hoje vamos decidir se suspendemos novamente as atividades letivas de educação física. Atualmente temos 8 funcionários para 1400 alunos".

O diretor da Básica e Secundária de Canelas, em Vila Nova de Gaia, diz que todas as semanas comunica a falta de funcionários à Delegação Regional de Educação, também já deu conhecimento ao Ministério, mas continua sem receber qualquer resposta.

LER MAIS:

- A escola onde alunos e professores tratam da limpeza e o diretor faz de porteiro

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de