"Start-ups" à medida dos estudantes estrangeiros em Portugal

Nos últimos anos, foram criadas várias empresas com serviços específicos para os milhares de estudantes internacionais que chegam ao país. Esta segunda-feira, 24 "start-ups" estão no ISCTE, em Lisboa.

Os estudantes estrangeiros a estudar no ensino superior em Portugal são mais de 42 mil e só na área de Lisboa são quase 18 mil.

Um mercado que fez surgir dezenas de empresas, que desenvolveram produtos e serviços específicos para estes estudantes.

Destas dezenas de empresas, 24 "start-ups" vão estar esta segunda-feira no ISCTE-IU, numa iniciativa chamada "Start me Up!" para mostrar "as suas ofertas para este segmento de mercado que, em boa parte dos casos, tem um poder de compra superior ao dos portugueses."

De aulas de português a plataformas para encontrar alojamento, passando por aulas de música ao domicílio, aluguer de motos e de bicicletas, viagens pelo país e atividades radicais. Há ainda aplicações que ajudam os estudantes a adaptarem-se ao novo sistema de ensino, que fornecem alimentação saudável ou promovem o desporto em associação com as novas tecnologias.

"Dos mais de 42.500 estudantes estrangeiros em Portugal, cerca de 12.500 são brasileiros (a nacionalidade mais representada), seguidos de angolanos, espanhóis, cabo-verdianos e italianos. Os chineses e os franceses encontram-se entre os grupos de estudantes que mais tem crescido nas universidades portuguesas.", refere o ISCTE em comunicado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de