Videovigilância regressa às escolas por 3 meses

O Ministério da Educação revelou ter assinado hoje um contrato de três meses que "permite manter em funcionamento a monitorização remota e o sistema de deteção de intrusão da videovigilância nas escolas".

Em comunicado, o Ministério diz que este contrato vai permitir assegurar a monitorização das escolas até que seja concluído um novo concurso para a prestação do serviço pelo período mais alargado de três anos.

O ministério entende que este contrato de curta duração vai "ao encontro das preocupações expressas por pais e diretores" porque assegura "a monitorização remota do sistema de vigilância das escolas no período noturno e ao fim de semana, isto é, quando estão desocupadas".

Na 2ª feira, os diretores escolares foram informados de que teriam que desligar os sistemas "uma vez que a monitorização remota já não estaria em funcionamento", explica agora o ministério.

O comunicado esclarece que a monitorização remota "funciona em horário noturno e ao fim de semana com o apoio de um sistema de deteção de intrusão e incêndio".

Quanto ao próximo contrato, o ministério diz que "o procedimento concursal será lançado em breve" e vai permitir melhorar o que esteve em vigor.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de