Em vez de carros, um jardim 

O projeto do Jardim do Caracol da Penha venceu a edição deste ano do Orçamento Participativo de Lisboa com a maior votação de sempre.

A criação do jardim num local que a Câmara Municipal de Lisboa tinha destinado a um parque de estacionamento da EMEL foi ativamente defendida pelo Movimento 180, um grupo que reuniu moradores das freguesias da Penha de França e de Arroios. Ao longo dos últimos meses este grupo organizou várias iniciativas para promover o projeto que acabou por receber o maior número de votos.

Reportagem de Rita Costa

00:0000:00

Inês Fonseca que mora ao lado do espaço e faz parte do movimento conta que ficaram muito contentes com a votação e acredita que o sucesso resultou da forma como todos se envolveram no projeto. " Criámos uma rede de contactos e foi muito fácil chegar às pessoas", assegura.

"Fizemos uma apresentação pública e ai ficámos muito surpreendidos porque apareceram mais pessoas do que estávamos à espera", afirma Inês Fonseca. Sem radicalismos, este grupo de cidadãos reconhece a necessidade de lugares de estacionamento no bairro, mas acredita que há alternativa. O projeto da autarquia implicava a criação de 80 lugares de estacionamento, nada que não se consiga de outra forma. Inês Fonseca sugere, por exemplo, a utilização de garagens que atualmente estão desativadas

O local, atualmente fechado ao público, tem 10 mil metros quadrados de vegetação (o equivalente a um estádio de futebol), só está à vista de quem mora nos andares mais altos dos prédios à volta e está praticamente ao abandono. Já foi uma quinta, uma serração e agora no meio das árvores só existe um pombal. Mas ali vai nascer um jardim, o Jardim do Caracol da Penha (um nome escolhido entre nomenclaturas antigas dos espaços à volta). Por ter vencido o orçamento participativo, o projeto vai receber 500 mil euros da Câmara Municipal de Lisboa.

"Toda a gente quer um jardim aqui nesta zona, faz falta", afirma Susana Barroco, uma das moradoras que votou a favor do projeto. "Votei a favor e pus todos os meus amigos a votar também", conta.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados