Fidget Spinner. Nova moda entre os miúdos tem capacidades terapêuticas

Pode ajudar crianças com autismo, défice de atenção e hiperatividade, diz a psiquiatra Ana Vasconcelos. Fomos conhecer a empresa da Maia que importa e distribui os Fidget Spinner.

É o novo brinquedo da moda entre os miúdos. Chama-se Fidget Spinner e trata-se de uma pequena peça colorida que gira sobre um eixo central, como se fosse um pião.

Alguns psiquiatras, como é o caso de Ana Vicente, alegam que tem propriedades anti-stress e pode ser benéfica para crianças com autismo, défice de atenção e hiperatividade.

A TSF conversou com a pedopsiquiatra e foi à Maia conhecer a Available Gadget, empresa distribuidora do produto oficial da marca Fidget Spinner em Portugal e de onde saíram, só na primeira semana de negócio, 15 mil unidades.

A ruralidade do local onde está instalada a empresa não deixa adivinhar que é daqui que sai a grande maioria dos Fidget Spinners que estão à venda em Portugal.

Atrás do CCO Rajesh Kanai está um pau de incenso aceso ajuda a dissuadir os odores dos campos. Ao lado, repousa Ganesh, um dos mais conhecidos deuses do hinduísmo, representado com uma tromba de elefante, e associado à sorte e à prosperidade.

Rajesh tem, no entanto, noção de que esta loucura à volta do Fidget Spinner há de começar a esmorecer. "Daqui a três meses", prevê.

Para já, a empresa familiar que se chama Available Gadget e que conta apenas com sete trabalhadores vai surfando o negócio. 15 mil unidades do Fidget Spinner voaram na primeira semana.

E do Spinner, Rajesh passou diretamente para o Cube, um pequeno gadget que a revista Forbes pôs na lista dos obrigatórios. Trata-se de um pequeno cubo com uma atividade em cada face. Uns pequenos botões que simulam as folhas de plástico com bolhas de ar para estourar, umas roldanas, um botão de scroll, um joy stick. É um anti-stress, tal como o Spinner.

A pedopsiquiatra Ana Vasconcelos diz que lhe chegam ao consultório muitas crianças com o brinquedo.

"É um aparelho que utiliza um movimento que ajuda a por uma imagem de rotação nos olhos, que são situações que de alguma maneira dão um certo conforto ao cérebro. Não é por acaso que o brinquedo está a ser associado aos miúdos do espetro autista. É um movimento previsível que se repete ciclicamente com o mesmo tempo", sublinha.

E isso é semelhante a "uma técnica de psicoterapia chamada EMDR que utiliza uma situação semelhante, ou seja, estímulos regulares no tempo e no espaço".

Ana Vasconcelos sublinha que o brinquedo pode também ser benéfico para crianças com hiperatividade e com défice de atenção.

A pedopsiquiatra faz uma associação entre o gadget e a ritalina, um fármaco utilizado nestas circunstâncias. Outra comparação: é parecido com os efeitos da atividade física: "A nível da neurobiologia do cérebro, vai regular determinadas alterações neurobiológicas".

Mas, atenção, usar fora das aulas, adverte a médica.

Se vir alguém com uma espécie de boomerang que parece um pião, já sabe. Pode ter funções terapêuticas.
Rajesh Kanai registou a marca e o domínio. Há outros idênticos à venda, mas o empresário defende o produto que comercializa. Ele garante que o plástico é mais consistente e o rolamento é melhor.

Seja como for, a verdade é que o novo brinquedo está aí, a andar à roda.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados