Governo admite que complemento horário em creches ao sábado pode ser alargado

Secretária de Estado da Segurança Social admite, na TSF, que, se houver uma elevada procura, o complemento de horário das creches ao sábado, para os filhos dos trabalhadores, pode ser generalizado, além da Autoeuropa.

A secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, insistiu esta quinta-feira, no Fórum TSF, que o complemento de horário para as IPSS (Instituições Particulares de Solidariedade Social) que acolham os filhos dos trabalhadores da Autoeuropa não é uma medida exclusiva para esta empresa.

Cláudia Joaquim lembrou que, entres os acordos de cooperação celebrados entre a Segurança Social e as IPSS (em que é dado um apoio financeiro direto às instituições), em 51% das creches já vigora este complemento para os pais que têm horários complexos (que trabalham por turnos, por exemplo).

A secretária de Estado reafirmou que existem já 953 creches com complemento horário (mais de uma centena atribuídos recentemente).

No entanto, o caso da Autoeuropa apresenta-se como uma situação rara, já que não só obrigará a que as creches estejam abertas durante mais horas nos dias úteis, mas também que estejam em funcionamento aos sábados.

"Não estamos a falar de um apoio exclusivo para os trabalhadores da Autoeuropa, estamos a falar é de uma necessidade que é pública, concentrada no distrito de Setúbal, e que a Segurança Social manifesta esta total disponibilidade para avaliar se existe disponibilidade por parte das instituições", disse Cláudia Joaquim, na TSF.

A secretária de Estado confirmou ainda que, se houver uma elevada procura, o complemento horário ao sábado pode ser generalizado a outras empresas. "Se existir essa procura, teremos de avaliar se funcionou bem esta resposta e equacionar a sua generalização", declarou.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de