Sociedade

A GNR encaminhou pessoas para a morte?

Relatório da Comissão Técnica Independente sobre o incêndio de Pedrógão Grande foi entregue esta quinta-feira, no Parlamento.

Quanto às dúvidas sobre se a GNR teria encaminhado para a morte parte das 47 pessoas que morreram, presas nas chamas e no fumo, na EN236, ao ter direcionado os carros para esta estrada, o relatório da Comissão Técnica Independente esclarece que "em momento algum, foi dada a indicação da Estrada Nacional 236-1 como itinerário alternativo ao IC8".

No entanto, o comando de operações também nunca deu à GNR indicações "sobre o risco daquela estrada nacional", adianta o relatório.

Os autores do relatório confirmam que os dois agentes da GNR presentes no local não tinham comunicações com os comando da proteção civil e da Guarda e que agiram quase sempre por "livre iniciativa". Fica por apurar porque razão, perante a rápida aproximação da frente de fogo, os agentes "não agiram do mesmo modo, cortando a EN236-1 no sentido Figueiró dos Vinhos - Castanheira de Pêra.

O relatório diz também que, uma vez que as mortes na estrada ocorreram na sequência da fuga a partir das aldeias, "poderia ter-se colocado a hipótese de proceder ao corte das estradas de acesso à EN 236-1", o que teria um desfecho "provavelmente ainda pior, pois teria eventualmente implicado a ocorrência de mais vítimas, incluindo os próprios agentes da autoridade".

Leia aqui o relatório na íntegra

  COMENTÁRIOS