As crianças e os "chatos" dos irmãos 

Do irmão mais velho visto como um amigo e um protetor, ao irmão mais novo que "é um chato".

As crianças que têm irmãos definem as brincadeiras como aquilo que mais fazem na sua companhia.

Ouça a reportagem de Miguel Midões

00:0000:00

Do 1º ao 3º ciclos do básico, as crianças que falaram com a TSF mostraram-se contentes por ter irmãos, mesmo que isso por vezes represente dividir a atenção dos pais.

No meio está a virtude, mas ser a irmã do meio "é horrível", pensa a Mariana, que justifica esta sensação com o facto de haver "muita atenção para a mais velha porque é a primeira a fazer tudo e muita atenção para a mais nova por ser mesmo muito pequenina. Eu fico lá pelo meio..."

No caso da Laura, colega de turma da Mariana, ambas com 13 anos, ter uma irmã é sinónimo de ter um amigo "chato". "É bom, porque é sempre um amigo mais próximo, apesar de ser chato, às vezes".

Quando se é mais novo, olha-se o irmão mais velho como uma espécie de protetor. "Os nossos irmãos têm de nos proteger", diz a Filomena Maia, de 10 anos, com um sorriso no rosto.

Pode-se ser protetor por ser mais velho, ou talvez não. É o caso do Gaspar, de 9 anos e três irmãs, que até deixa o aviso: "elas às vezes fazem porcarias e tenho de ralhar com elas".

O João Luís foi filho único até há um mês. Já faz planos para quando crescer o irmão bebé. "Vai jogar futebol e brincar comigo", diz garantindo que irá sempre proteger o irmão mais novo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de