Sociedade

"As pessoas autoprotegeram-se. Só por isso não houve mais mortos"

A Associação de Familiares das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande vai dar este sábado um workshop sobre autoproteção em catástrofes. O Presidente da República vai estar presente.

A Associação de Familiares das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande não quer para já comentar o relatório da Comissão Técnica Independente entregue no Parlamento. Diz que vai fazê-lo só no sábado, ao lado de Marcelo Rebelo de Sousa, que vai estar presente no primeiro encontro da Associação.

Essa reunião vai ter como objetivo dar formação sobre o comportamento que se deve ter numa situação de catástrofe. Vai ser um workshop para prevenir futuros incidentes e munir as populações das aldeias das ferramentas essenciais para se protegerem.

Dina Duarte, Associação de Familiares das Vítimas, está convencida de que, no incêndio, o que funcionou foi a autoproteção e só "por isso não houve mais mortos". As pessoas "resistiram e conseguiram com os parcos meios que tinham" sobreviver, sublinha, explicando que o encontro de sábado serve para a população "ter uma noção do que é mais útil e mais eficaz neste tipo de combate".

Dina Duarte diz que foram as populações que se salvaram a si próprias, porque "não houve proteção civil nem bombeiros". Neste encontro, a Associação de Familiares das Vítimas do Incêndio vai contar com o apoio da Aprosoc, a Associação de Proteção e Socorro.

A ideia é ensinar a população a como reagir numa situação de catástrofe: "O que deveremos fazer, se ir para casa, se fugir, que tipo de comunicação devemos utilizar quando tudo falha. É, no fundo, termos ferramentas para nos salvar e ao vizinho que está ao lado".

A Associação convidou Marcelo Rebelo de Sousa. O Presidente da República disse presente.

  COMENTÁRIOS