monchique

Autarca de Monchique reclama para as câmaras ordenamento florestal

O incêndio de Monchique deve ser uma oportunidade para resolver problemas crónicos no território. Quem o diz é o presidente da câmara que defende que as autarquias devem ter mais competências na área do ordenamento florestal e rural.

Rui André espera que esta seja uma janela de oportunidade para que a descentralização se faça também a esse nível. São declarações do autarca numa altura em que se contabilizam os prejuízos: cerca de meia centena de casas foram destruídas pelo fogo.

O pior parece já ter passado. Nesta altura, diz o presidente da Câmara de Monchique, fazem-se contas às casas ardidas: "Até amanhã esperamos que a maioria das pessoas já tenha regressado a casa".

Cerca de 50 casas terão sido atingidas. Metade delas de primeira habitação. Rui André diz que, para esses casos, a autarquia está a tentar encontrar soluções mais duradouras.

E para que as casas sejam arranjadas, sublinha o autarca, Monchique vai precisar do apoio do Governo. "Assim que estiver concluído este processo, vou pedir uma reunião com o primeiro-ministro", frisou.

Para além disso, a autarquia eventualmente pedirá também a ajuda da União Europeia.

Rui André entende que agora é necessário "fazer com que a catástrofe possa ser uma oportunidade para resolver problemas crónicos". E que problemas crónicos são esses? "Estou a falar de desordenamento do território, da convivência entre espaço urbano e espaço florestal, no ordenamento florestal e rural".

Rui André sublinha que "os municípios ainda não têm competências" na gestão florestal. "Esta história da descentralização tem que passar das palavras aos atos", atira.

"O momento é agora". O autarca de Monchique diz que é preciso que a história não se repita.

  COMENTÁRIOS