Baklavas e falafel: os sabores do Líbano estão no ar

Falam de uma cozinha feita de generosidade, de partilha, como a cozinha portuguesa ​​​​​​e falam de muito mais no programa "Uma Questão de ADN".

Era uma vez um pianista português, madeirense, que tocava num hotel no Dubai. Falava muito do país e Rachid, que era o gerente do hotel, ouvia as histórias contadas ao piano .Alguma coisa ficou e um dia, partiu numa viagem pela Europa. Fez escala em Madrid e estando tão perto de Lisboa, pensou que o amigo português não lhe perdoaria se não aproveitasse para visitar este canto do mundo. " Adorou!", exclamam os dois filhos. E mudaram-se do Dubai para Lisboa. Já tinham saído do Líbano para fugir da guerra civil que começou em 1975. Dez anos depois chegam a Portugal. Safaa tinha 2 anos, Mashal andava pelos 10.

A família Dib abre o primeiro restaurante libanês de Lisboa, em 2010, na rua Conde Redondo. Em 2013, o Fenícios tem uma segunda casa na rua Castilho, num 7º andar, com vista sobre a cidade. E agora na Av. Duque de Loulé abriu a Casa dos Cedros, uma três em um, restaurante, pastelaria e mercearia. Da akra, aguardente árabe, à flor de laranjeira, aroma muito usado na culinária libanesa, aos vinhos, ao chá, tudo pode ser comprado agora no espaço gerido por Safaa Dib, a mais nova da família. É a história deles que vamos conhecer, guiados pelas memorias dos dois irmãos e pelo sangue de comerciante que lhes corre nas veias. Como qualquer bom libanês. Uma conversa temperada com a linguagem universal da comida.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de