BE questiona Ministério em caso de homossexualidade numa escola de Vagos

O BE questionou o Ministério da Educação sobre a posição da direção da Escola Secundária de Vagos que terá informado duas alunas que não podiam beijar-se em público.

Numa pergunta subscrita pelos deputados Joana Mortágua e Moisés Ferreira, o BE sustenta que duas alunas da Escola Secundária de Vagos, distrito de Aveiro, "terão sido vistas a beijarem-se por uma funcionária da escola" e depois "chamadas à direção da escola, onde terão sido informadas que não se podem beijar em público porque isso 'incomoda pessoas'"

"A atuação da direção da escola visou especificamente a orientação sexual das alunas. Os alunos da Escola Secundário de Vagos realizaram hoje um protesto contra a homofobia e contra a presente situação em concreto", expõem os deputados bloquistas, acrescentando que, "de acordo com relatos de alguns alunos e alunas, a polícia terá sido chamada e os estudantes ameaçados de processo disciplinar".

O BE pergunta ao Ministério da Educação se tem conhecimento do caso e que medidas vai tomar para impedir "qualquer ato discriminatório por parte desta escola em relação às duas alunas e a toda a comunidade escolar devido à sua orientação sexual".

Os deputados questionam também o Ministério de Tiago Brandão Rodrigues sobre como agirá para garantir que os alunos que "exerceram o seu direito de manifestação não são prejudicados", designadamente com processos disciplinares.

A TSF procurou, sem sucesso, obter uma reação da escola em causa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de