EUA

Califórnia quer espírito "missionário" de Costa contra alterações climáticas

Califórnia está na linha da frente da coligação Under Two, cuja adesão António Costa entregou nesta quinta-feira ao governador daquele Estado norte-americano.

Portugal entregou simbolicamente a adesão à coligação Under Two, uma associação de países e Estados contra as alterações climáticas, liderada pela Califórnia e pelo governador Jerry Brown, que nesta quinta-feira recebeu António Costa no Capitólio em Sacramento, capital da Califórnia.

Costa afirmou que Portugal quer ser um "parceiro ativo para podermos cumprir os objetivos ambiciosos do acordo de Paris e superá-los", realçando que "mesmo que cumpramos todos os objetivos do acordo de Paris, ainda ficaremos aquém do essencial para preservar o futuro da humanidade".

O governador Brown sublinhou que a coligação reúne muitos países e Estados norte-americanos e disse que é "importante que Portugal e o mundo saibam que" embora a administração de Donald Trump tenha dito os "Estados Unidos iriam sair do acordo de Paris, há 17 Estados norte-americanos que assinaram um memorando para apoiar o acordo de Paris", e apelou à capacidade de persuasão de António Costa sobre temas ambientais em Bruxelas: "tem de fazer trabalho missionário com alguns colegas seus na Europa", disse, escutando de Costa uma resposta parecida: "sim, é preciso trabalho missionário. Não apenas na União Europeia mas também nos Estados Unidos".

"Somos campeões europeus das energias renováveis"

O tema das energias limpas continuou num seminário em frente ao Capitólio de Sacramento, capital da Califórnia, onde o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, apelou ao investimento no setor nacional das energias renováveis, explicando que Portugal é campeão europeu das energias renováveis, e mais tarde se verá se somos campeões do mundo", numa alusão ao campeonato que arrancou nesta quinta-feira com a vitória da anfitriã Rússia.

Brilhante Dias destacou que em 2016 e 2017, houve períodos de 4 dias de seguida em que o consumo energético do país se baseou apenas em energia renovável e que até ao final de maio de 2018, 64% da produção de energia foi baseada em energias renováveis.

  COMENTÁRIOS