Associação

Controlo de drones? "São as próprias autoridades a perguntar 'o que é que eu faço'?"

João Gomes Mota, da Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas (APANT), explica que as forças de segurança são as primeiras a pedir ajuda nos casos de avistamento de drones.

A Associação Portuguesa de Aeronaves Não Tripuladas (APANT) tem muitas dúvidas sobre a forma como vai ser aplicada a proposta de lei para a utilização de drones que esta quinta-feira foi aprovada em Conselho de Ministros.

João Gomes Mota, membro da direção da APANT, admite, em declarações à TSF, que não entende como é que as autoridades vão lidar com este problema tendo em conta que é a própria polícia a pedir ajuda à associação para lidar com os drones.

"Nós contactamos com alguma regularidade com as forças de segurança e, obviamente, as forças de segurança como a GNR e a PSP que recebem uma chamada na esquadra ou nos postos a dizer 'eu vi um drone a voar em sítio tal'. Que meios é que as unidades territoriais das forças de segurança terão para controlar isso?", questiona o dirigente da associação.

Da mesma forma, João Gomes Mota explica que "são os próprios agentes da PSP e os militares da GNR que nos perguntam 'o que é que eu faço?'". "'Não vou disparar assim às cegas, não vou comunicar porque entretanto o drone foi-se embora. O que é que eu respondo aos cidadãos que me fazem esta pergunta e que se sentem desconfortáveis? Não sabemos quem é'", reforça o responsável, que tem sido confrontado com as dúvidas das forças de segurança.

João Gomes Mota lembra que há ainda decretos sobre esta matéria que já deviam estar em vigor e até agora não aconteceu.

"Não sabemos, até agora, o que está implementado nos aeroportos. Segundo o decreto-lei que estaria em vigor há cinco aeroportos que têm de ser protegidos, até agora não temos qualquer notícia de instalação de equipamentos, nem sequer de concursos públicos, nem sequer de especificação de quaisquer equipamentos de proteção dessas infraestruturas. O que vai ser feito não sabemos e o decreto-lei de junho do ano passado, que já deveria estar em vigor, também carece dos meios práticos para pôr em rigor", explica o especialista.

Leia as novas regras para os drones aprovadas em Conselho de Ministros:

- Se conduzir um drone, não beba. E regras não ficam por aqui

  COMENTÁRIOS