Comboios

Estado da linha ferroviária no Algarve: "Se fosse a pé chegava mais depressa"

A União dos Sindicatos do Algarve fez esta tarde um protesto contra o estado em que se encontra a linha ferroviária do Algarve. E os utentes concordaram.

É "inadmissível o que se passa na linha ferroviária do Algarve", diz a União dos Sindicatos, onde se "suprimem muitas das circulações previstas, o material circulante é obsoleto e os horários da linha e de ligação a outros pontos do País são desajustados."

Herminia Cruz assistia ao protesto à porta da estação da CP de Faro e concordava com o que ouvia. Herminia apanha todos os dias o comboio entre Faro e Olhão.

E são muitas as vezes que chega à estação e vê que o horário do seu comboio foi suprimido.

Como utente da CP na região Herminia não estranha, por isso, o protesto marcado pela União dos Sindicatos do Algarve.

Uma manifestação para chamar a atenção para o estado em que se encontram as composições a demora nas viagens e as constantes supressões de comboios.

Esta utente traça um cenário negro ao que assiste diariamente" Têm os ares condicionados avariados, não têm janelas para abrir,cheiram mal, o cheiro a urina é imundo, nós pagamos e somos muito mal servidos".

António Filipe , maquinista da CP, explica que para além de haver poucas composições estão obsoletas."A última remodelação foi em 1996",conta.

Élia Rodrigues assistente comercial na CP ,lamenta a situação da linha ferroviária do Algarve e revela que está sempre a receber reclamações dos utentes.

"Nós é que estamos a dar a cara e não temos soluções.

Fazendo uma média diária são 4-5 comboios que não se realizam".

Neste dia deste protesto à porta da estação ferroviária de Faro, curiosamente a CP não suprimiu qualquer comboio.

  COMENTÁRIOS