Aeroporto do Montijo

A prova de que o radar para aves no Montijo está mesmo em cima da mesa

A TSF reafirma que o primeiro estudo de impacto ambiental encomendado pela ANA para o novo aeroporto no Montijo pedia que fosse instalado um radar "que permita a sua utilização como sistema de monitorização em tempo real da movimentação de aves e do nível de risco associado" nesta infraestrutura.

Ao contrário do que dá a entender uma notícia publicada esta sexta-feira pela agência Lusa, a TSF nunca falou num estudo da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), pelo que não faz sentido dizer-se que o ministro do Ambiente desmente a instalação do radar porque o governante afirma que "não há nenhuma proposta da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), nem de radar nenhum", acrescentando que "não há sequer um estudo de impacto ambiental".

Como foi amplamente noticiado em julho, o primeiro estudo de impacto ambiental foi feito a pedido da ANA (e não da APA), sendo que a APA, que recebe estes estudos, é que pediu a sua reformulação por várias limitações detetadas (nomeadamente ao nível da avifauna), num trabalho que continua a decorrer.

É o primeiro estudo promovido pela ANA que serve de base à informação de quarta-feira da TSF, como se pode ver pelas imagens do referido documento, nomeadamente entre as várias "medidas de minimização" apresentadas para diminuir os impactos ambientais do novo aeroporto.

  COMENTÁRIOS