Falta de bilhetes nos transportes em Lisboa: a "culpa" é do fornecedor

A empresa que gere o sistema dos cartões Viva Viagem admite atrasos no fornecimento dos bilhetes recarregáveis, mas diz que a responsabilidade é do fornecedor que se atrasou nas encomendas.

Fonte da Transportes de Lisboa esclarece à TSF que o que se passa com o cartão Lisboa Viva é que "faltam rolos de papel nas máquinas".

No entanto, os passageiros podem comprar o cartão de viagem ao balcão, sendo que, no caso do metro, todos os postos de venda estão abertos, segundo garante a mesma fonte.

A Transportes de Lisboa faz questão de sublinhar que nem todas as máquinas estão esgotadas e que o problema em causa deverá afetar sensivelmente 10% dos passageiros. A empresa explica estes números dizendo que 70% dos passageiros têm passe e nos restantes 30%, a maioria já havia comprado o cartão.

Assim, argumenta a Transportes de Lisboa, são essencialmente turistas os que ainda não compraram o cartão para poder carregar com viagens.

O esclarecimento surge na sequência de um conjunto de perguntas entregue, na quarta-feira, pelo PCP ao Ministério do Ambiente, que tutela os transportes urbanos, no qual os comunistas criticam o encerramento progressivo das máquinas de venda automática destes bilhetes, de acordo com queixas que receberam de utentes.

Antes, e através de uma nota enviada às redações, a OTLIS (Agrupamento Complementar de Empresas públicas e privadas), que gere o Sistema Viva, explicava que o fornecedor de cartões reutilizáveis regista atrasos no envio de encomendas, pelo que "poderão registar-se falhas nas entregas programadas de cartões Viva Viagem".

"O atual fornecedor dos suportes de uso ocasional da Área Metropolitana de Lisboa está a registar atrasos no envio de encomendas, prevendo-se assim que possam existir falhas nas entregas programadas dos cartões Viva Viagem", realçou, acrescentando esperar "que a situação se normalize com a maior brevidade".

A empresa informou, ainda, que o cartão Lisboa VIVA (que suporta o passe intermodal) não apresenta quaisquer perturbações.

Na sequência desta informação da OTLIS, relativa a eventuais atrasos no fornecimento dos cartões Viva Viagem, a CP -- Comboios de Portugal veio, pelo seu lado, informar "que não prevê a ocorrência de problemas nos seus Serviços Urbanos de Lisboa".

Numa nota, a CP afirmou que dispõe de 'stock' destes cartões "em volume suficiente até à data da próxima entrega prevista pela OTLIS" e disponibilizou-se "para auxiliar em eventuais ruturas de 'stock' noutros operadores de transporte público em Lisboa, dentro de um espírito de colaboração de que a CP já beneficiou em situações anteriores".

A OTLIS sublinhou que, em conjunto com os operadores de transporte de Lisboa, "está a envidar todos os esforços para uma regularização da situação, incluindo medidas alternativas, como a aquisição ao balcão, que permitam reduzir os possíveis impactos que este atraso possa causar".

O Viva Viagem é um cartão que pode ser adquirido pelos clientes pontuais na rede de transportes que liga toda a Área Metropolitana de Lisboa, nomeadamente CP, Fertagus, Metro de Lisboa, Transtejo e Soflusa, e podem ser reutilizados.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de