Especial Incêndios

Especial TSF Incêndios 2017
reflorestação

Governo anuncia investimento de 15 milhões nas matas nacionais

Pinhal de Leiria recebe a maior fatia do investimento até 2022. Ministro Capoulas Santos garante reforço de meios no ICNF

O governo anunciou hoje 15 milhões de euros para as matas nacionais do litoral que arderam em 2017. De acordo com o ministro Capoulas Santos, a maior fatia do investimento está destinada ao Pinhal de Leiria.

O pinheiro bravo vai continuar a ser a espécie dominante no Pinhal de Leiria, mas a comissão científica nomeada pelo Governo propõe a plantação de manchas intercalares com sobreiros e outras lenhosas.

De acordo com o ministro Capoulas Santos, o programa de recuperação das sete matas nacionais do litoral, que arderam em 2017, apresentado hoje na Marinha Grande, implica um investimento inicial de 15 milhões de euros.

"É seguramente apenas uma pequena fatia para um período de quatro anos, até 2022, e apenas na componente da gestão florestal. Este projeto de recuperação das matas litorais é muito mais do que as operações de mera gestão florestal", referiu. "Mas obviamente que estamos a responder gradativamente a um problema de grandes dimensões e como é óbvio a nossa primeira prioridade é a recuperação da componente florestal".

A comissão científica com peritos de sete universidades está preocupada com as espécies invasoras e com as doenças e pragas que atacam o pinheiro bravo. Capoulas Santos diz que era difícil fazer mais no período de um ano desde o incêndio. Para reinventar o Pinhal de Leiria, e recuperar as matas do litoral, o Governo prepara-se para entregar mais dinheiro e pessoal ao ICNF - Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

"Queremos dar muito mais capacidade de intervenção a partir dos serviços que estão no terreno e não propriamente dos serviços centrais em Lisboa que manterão uma dimensão não superior à atual", antecipou, sobre a proposta que vai a conselho de ministros a 25 de outubro.

Capoulas Santos anunciou também que o Governo apoia a instalação do Museu Nacional da Floresta na Marinha Grande, também com o caráter de um memorial, objetivo a concretizar com fundos nacionais e comunitários.

A madeira ardida em 2017 nas matas nacionais rendeu até à data 15,5 milhões de euros, em hasta pública, a favor do Estado, dos quais 11,4 milhões com a venda de lotes do Pinhal de Leiria.

  COMENTÁRIOS