Economia

Expansão dos metros de Lisboa e do Porto arranca até junho de 2019

Garantia foi dada pelo ministro do Ambiente.

As obras de expansão dos metropolitanos de Lisboa e do Porto vão começar até junho de 2019, com 200 milhões de euros disponíveis para estes projetos e para a Transtejo e a Soflusa.

"No mês de março entrará a avaliação de impacto ambiental para a expansão de rede de metro de Lisboa na Agência Portuguesa do Ambiente (APA)", avançou João Matos Fernandes no âmbito de uma audição na comissão parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

Sobre a expansão do Metro do Porto, o governante referiu que os projetos de execução estão em curso.

Neste sentido, "sem a mais pequena dúvida", o tutelar da pasta dos transportes assegurou que, "o mais tardar, no final do primeiro semestre do próximo ano, as obras já estarão no terreno".

"Este foi sempre o calendário desde o princípio, ajustado ao calendário da própria reprogramação dos fundos que libertará 200 milhões de euros para estes projetos e para o projeto de reabilitação de navios na Transtejo e na Soflusa", declarou João Matos Fernandes, explicando que esta verba está disponível através do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (POSEUR).

Inaugurado a 29 de dezembro de 1959, o Metro de Lisboa começou a operar com uma linha em Y e com 11 estações. Atualmente, existem quatro linhas e 56 estações.

De acordo com o Plano de Desenvolvimento Operacional da Rede do Metropolitano de Lisboa, apresentado em maio, o Metro de Lisboa vai ter mais duas estações - Estrela e Santos --- até 2022, estando previstas também estações nas Amoreiras e em Campo de Ourique, embora nestes dois casos sem uma data prevista de conclusão.

Oficialmente inaugurado a 7 de dezembro de 2002, o Metro do Porto abriu portas aos passageiros no dia 01 de janeiro do ano seguinte, com o início da operação da Linha Azul, entre a Trindade (Porto) e a Senhora da Hora (Matosinhos).

Atualmente o Metro do Porto conta com seis linhas e 82 estações, numa extensão total de 67 quilómetros. A extensão da rede prevê uma ligação entre São Bento e a Casa da Música (Linha Rosa) e o prolongamento da Linha Amarela até Vila D'Este (Vila Nova de Gaia), num investimento de cerca de 4,7 milhões de euros.

  COMENTÁRIOS