Transportes Públicos

Infraestruturas de Portugal garante que rede ferroviária é segura

Apesar de um relatório ter concluído que mais de metade das vias férreas tem um desempenho medíocre ou mau, a Infraestruturas de Portugal garante que o desempenho é "globalmente positivo".

Segundo o relatório do estado da infraestrutura de maio de 2017 e que diz respeito a 2016, divulgado hoje pelo jornal Público, quase 60% das vias férreas portugueses têm um índice de desempenho medíocre ou mau.

Em pior estado, segundo o jornal, estão os troços OvarGaia (Linha do Norte), Tua-Pocinho (32 quilómetros na Linha do Douro) e a via estreita de Espinho a Oliveira de Azeméis e de Aveiro a Sernada do Vouga (68 quilómetros).

Numa nota enviada às redações, a Infraestruturas de Portugal (IP) garante que "a rede ferroviária nacional é segura sendo o seu desempenho globalmente positivo".

Segundo a empresa, em 2016 a rede ferroviária nacional encontrava-se, "em termos médios, num estado de condição razoável, (avaliado em 5,3 numa escala entre 0 e 8) significando que em geral está adequada aos requisitos de exploração".

De acordo com a IP, o estado das vias "constitui somente um dos 9 (nove) parâmetros avaliados neste relatório, sendo que todos os restantes indicadores de desempenho são francamente mais positivos".

"Para incrementar o nível da infraestrutura ferroviária, a IP está a desenvolver o maior programa de investimentos das últimas décadas na modernização da rede ferroviária nacional", termina a empresa.