Internet: "A pior rua da pior cidade"

São mais do que muitos os riscos a que as crianças e os jovens estão expostos quando navegam na internet. O alerta é dado por Filipe Custódio, especialista em cibersegurança, no Almoço TSF.

"A internet está na mão dos nossos filhos - nos smartphones, nos tablets,.. - e os métodos tradicionais para tentar controlar o acesso a alguns conteúdos começam a falhar", afirma Filipe Custódio. Perante a inevitabilidade do contacto, este especialista em cibersegurança defende que a solução passa por fazer com que os miúdos tenham consciência dos perigos.

Filipe Custódio avisa que ferramentas como o Snapchat ou como o Vine potenciam a partilha de conteúdos perigosos e são utilizados por predadores sexuais. "Imagine uma situação em que um jovem é desafiado a colocar uma fotografia íntima. O que ele [o jovem] não sabe é que nunca mais pode ter a certeza que essa imagem é apagada. Isso é utilizado por predadores para fazer chantagem com os miúdos", conta o especialista da Visionware .

Outro perigo, de que nem sempre os pais têm noção, prende-se com as câmaras dos computadores, que podem ser ativadas mesmo com o computador desligado, e cuja imagem pode ser manipulada.

"Por exemplo, a cara de uma miúda pode ser posta num corpo diferente e essa imagem pode ser usada para dizer que ela tirou fotografias nua. Isso acontece todos os dias", avisa Filipe Custódio, que defende que os jovens devem preservar a imagem.

O especialista em cibersegurança fala ainda sobre outros perigos de internet, como a possibilidade de as crianças e jovens poderem ser vítimas - ou mesmo transformarem-se em agressoras - de ciberbullying, por exemplo. Uma prática que recorre, muitas vezes, a chats que permitem que os utilizadores (e potenciais agressores) falem de forma anónima.

Em entrevista à TSF, Filipe Custódio mostra algumas aplicações que, apesar de todos os avisos, são utilizadas pelos mais novos e outras que permitem que estes tenham fácil acesso a drogas ou outros conteúdos pouco recomendáveis.

No entanto, uma das maiores preocupações do especialista em cibersegurança passa pelo poder de influencia dos youtubers, seguidos religiosamente pelos mais novos.

Perante todas as ameaças, Filipe Custódio recomenda diálogo com os filhos, para que se crie uma relação de confiança - um trabalho que deve começar cedo. O especialista afirma que as crianças devem estar à vontade para falar com os pais sempre que se sintam ameaçados ou vejam na internet algo que as incomode.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de