"Mário Machado fez uma cedência lamentável ao politicamente correto"

A presença de Mário Machado no programa "Você na TV!" da TVI foi incontornável na primeira emissão do Governo Sombra de 2019.

Mário Machado, condenado no passado por crimes como coação, roubo, sequestro, posse ilegal de armas e envolvimento no assassinato de Alcindo Monteiro na noite de 10 de junho de 1995 , foi apresentado no programa de Manuel Luís Goucha como "autor de algumas declarações polémicas".

O caso levou a Associação SOS Racismo a acusar a TVI de branquear o passado de Mário Machado e a polémica que se seguiu levou à suspensão da rubrica "Diga de Sua (In)Justiça" do programa da manhã, desencadeou uma investigação da ERC e levou à apresentação de uma queixa pelo Sindicato dos Jornalistas contra a TVI. O ministro da Defesa, João Cravinho, recorreu à rede social Twitter para dizer que "uma atitude destas não é muito diferente de quem ateia incêndios pelo prazer de ver as labaredas".

Os "ministros sombra" são unânimes em considerar que Mário Machado tem o direito de expressar as suas ideologias, por racistas e fascistas que sejam, mas que tal deve ser enquadrado devidamente e sujeito a um contraditório sério e rigoroso. Para Ricardo Araújo Pereira, "convidar um nazi como Mário Machado, com o cadastro longo que Mário Machado tem, e dizer "é o autor de algumas declarações polémicas", é a mesma coisa que ter como convidado o vírus da SIDA e dizer "cá está o autor de algumas maroteiras no nosso sistema imunitário!".

O humorista segue fazendo uma declaração de interesses, uma vez que tem já um historial na justiça com Mário Machado: o caso remonta a 2008, quando os "Gato Fedorento" afixaram no Marquês de Pombal um cartaz de escárnio dirigido a um outro cartaz do Partido Nacional Renovador, contra a imigração. Em retaliação, a integridade física do humorista e da filha de cinco anos foi ameaçada por elementos da extrema-direita , e entre os arguidos do caso estava Mário Machado, então líder do grupo neo-nazi "Portugal Hammerskins". Feita a declaração de interesses, Ricardo Araújo Pereira defende que "Mário Machado tem o direito de falar e a TVI tem direito de o convidar, não percebo é para quê".

O humorista lamentou ainda a "cedência lamentável ao politicamente correto" de Mário Machado, que, quando confrontado pela pergunta de Manuel Luís Goucha sobre o facto de o apresentador ser homossexual e casado com um homem, não foi capaz de se manter fiel à "fanfarronice do anti-politicamente correto" e finaliza dizendo que "o único mérito deste caso é agora ficarmos na expectativa de saber "o que é que a Cristina Ferreira vai fazer para bater isto: "fazer fogo com paus, será que interessa?".

A emissão completa do Governo Sombra, para ver ou ouvir , sempre em tsf.pt.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de