Furacão Leslie

EDP ativa estado de alerta e reforça equipas operacionais

O furacão Leslie irá atingir o território continental em forma de depressão pós-tropical.

A EDP Distribuição ativou o estado de alerta em Portugal continental devido ao furacão Leslie, reforçando as equipas operacionais de prevenção e suspendendo os cortes de eletricidade programados.

O estado de alerta entrou em vigor às 18:00, refere a empresa numa nota de imprensa, acrescentando que a concentração de meios será feita nas "zonas onde se espera maior impacto" da tempestade.

A EDP Distribuição justifica as medidas com a previsão de condições do tempo adversas, com a aproximação do furacão Leslie, que deverá atingir o território continental como depressão pós-tropical, em particular fortes rajadas e chuva intensa, "sobretudo nas zonas a norte de Lisboa".

A empresa adverte que o fornecimento de eletricidade poderá ser afetado "de forma significativa", adiantando que se mantém em articulação com a Proteção Civil e com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O IPMA colocou hoje 13 distritos sob aviso vermelho, o mais grave, por previsão de vento forte, e alguns também por agitação marítima, em consequência da passagem pelo território continental do furacão Leslie.

Setúbal, Lisboa, Leiria, Coimbra, Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Castelo Branco, Viseu, Guarda e Santarém são os distritos abrangidos pelo aviso.

O furacão Leslie deverá atingir o território continental como depressão pós-tropical, mas com ventos com "intensidades equivalentes a uma tempestade tropical", com rajadas acima dos 130 quilómetros/hora que podem chegar a máximos históricos de 180/190 quilómetros/hora, segundo o meteorologista do IPMA Nuno Moreira.

De acordo com a Proteção Civil, o período crítico deverá acontecer entre as 23:00 de sábado e as 04:00 de domingo.

A Associação Portuguesa de Técnicos de Segurança e Proteção Civil pediu às empresas que prestam serviços públicos para que adotem comportamentos preventivos, nomeadamente através da mobilização de meios, devido à passagem do furacão.

  COMENTÁRIOS