Metade dos helicópteros do INEM não cumpre as regras

Dos quatro helicópteros do INEM, dois não cumprem as regras.

O aparelho colocado em Évora está agora a fazer 21 anos. O contrato da empresa Babcock com o Estado prevê que as aeronaves ao serviço do INEM não tenham mais de 20 anos. A Notícia é um dos destaques de hoje do Jornal de Notícias.

Já o helicóptero destacado para Macedo de Cavaleiros que substitui o que ficou destruído no acidente em Valongo... não cumpre os requisitos de desempenho.

A empresa que fornece os helicópteros ao serviço de emergência médica garantiu ao Jornal de Notícias que os dois aparelhos estão a funcionar com autorização do INEM e que a substituição está prevista para breve.

No caso de Évora deve chegar um novo helicóptero em março.

Já quanto a Macedo de Cavaleiros a empresa explica que a prioridade foi encontrar uma aeronave o mais rapidamente possível para prestar os serviços de assistência naquela região e que este modelo vai ser substituído "oportunamente".

O Jornal de Notícias tentou uma reação do INEM e do governo, mas não teve resposta.

A Babcock assinou um contrato com o Ministério da Saúde para o aluguer dos quatro helicópteros do INEM válido até 2023. No total, o Estado vai pagar mais de 38 milhões de euros.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de